Atomoxetina (Strattera)

Disponível nas farmácias dos EUA desde o início de 2003. Trata-se da primeira droga não pertencente à classe dos estimulantes oficialmente aprovada para tratamento do TDA/H em crianças, adolescentes e adultos.
Trata-se de um inibidor seletivo da recaptação da noradrenalina. A noradrenalina é um dos neurotransmissores envolvidos na gênese do TDA/H (o outro é a
dopamina). A atomoxetina se revelou eficaz nos ensaios realizados.

Por não se tratar de um estimulante, sua aquisição traz menos inconvenientes para o usuário.

Pode ser usado apenas uma vez ao dia, o que é outro benefício.

Já foram realizados ensaios clínicos em adultos e crianças, com resposta terapêutica bastante favorável nos sintomas de desatenção e de hiperatividade-impulsividade. Também se mostrou útil nos casos em que existe depressão e ansiedade associadas ao TDA/H.
Uma questão na qual ainda não existe consenso diz respeito ao tamanho do efeito da atomoxetina em comparação com o metilfenidato. Enquanto alguns autores a consideram com um efeito menor que a do metilfenidato, outros acham que o tamanho de efeito de ambas drogas é bem semelhante.

Estudos recentes mostram benefícios na associação de estimulantes com atomoxetina, nos casos em que a monoterapia não deu resultados satisfatórios.

A atomoxetina é metabolizada pelo complexo enzimático hepático Citocromo P-450 2D6, via enzimática que é genéticamente polimorfa nos seres humanos. Isso explica a variabilidade das reações individuais ao produto bem como a possibilidade de interações medicamentosas.

Mais informações sobre esse produto podem ser vistas no site:
http://www.strattera.com

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.