Tipo (predominantemente) desatento

O TDA/H é um transtorno heterogêneo, podendo assumir diversas aparências. Na dependência de quais elementos (hiperatividade, impulsividade e desatenção) dominam a cena do quadro clínico, admite-se a existência de três formas clínicas:
1. Tipo combinado ou misto
2. Tipo (predominantemente) hiperativo-impulsivo
3. Tipo (predominantemente) desatento

Esse último, o Tipo Desatento, só obteve reconhecimento científico em 1994, com a publicação do DSM-IV, pois até então era exigida a presença de sintomas de hiperatividade-impulsividade para se fazer o diagnóstico de TDA/H.

Características:

As pessoas com essa forma clínica exibem seis ou mais dos sinais de dificuldades de atenção, mencionados nos Critérios Diagnósticos do DSM-IV.
São marcas registradas dessas pessoas a constante falta de atenção e a aparente falta de esforço. Mostram dificuldade de dar a partida, são lentas, morosas, hipo-ativas, e tendem a adiar todas suas atividades.
Com freqüência parecem estar sonhando acordadas, “no mundo da lua”, e não é raro que ao serem chamadas pelo professor não têm idéia do que estava sendo discutido.
Todavia, a maior parte dessas pessoas tem algumas atividades nas quais conseguem sustentar a atenção e o esforço adequadamente, e em geral são atividades novas ou aquelas pelas quais sentem grande interesse (informática, esportes, pintura, desenho, música, etc.).
Se crianças, seu comportamento não é perturbador para pais e professores, como o são as crianças com o tipo Combinado ou o tipo Hiperativo-impulsivo.
Mas nem por isso deixam de ter problemas de socialização, pois suas características a predispõem para serem ignoradas pelos colegas, e ficarem algo marginalizadas.

Prevalência:

Estudos mais recentes feitos na população geral demonstram que esse tipo clínico é muito mais freqüente do que se pensava inicialmente, e segundo alguns autores seria até o tipo mais freqüente de todos.

Ao contrário dos outros tipos, que desde os primeiro anos de vida já exibem sinais evidentes do transtorno, no tipo Desatento os sinais podem só se tornar salientes por volta dos 9 anos, e não é raro que só se notem prejuízos a partir dos 11 anos de idade.
Os problemas costumam se acentuar na puberdade e à medida que as exigências sobre a atenção se tornam mais complexas. Há casos em que as dificuldades ficam evidentes apenas depois do ingresso na universidade.

Com o passar dos anos essas pessoas desenvolvem:

o retraimento social, timidez, fobia social
o traços obsessivos de personalidade
o sentimentos crônicos de incapacidade
o angústia, depressão
o auto-medicação (com tranqüilizantes)
o tabagismo, uso de álcool

Identificação:

Exatamente por ser uma forma menos ruidosa e perturbadora do ambiente, esse tipo Desatento com mais facilidade deixa de ser identificado e encaminhado para tratamento.

Com facilidade os sintomas são erroneamente interpretados como:

– apenas timidez
– dificuldade emocional
– baixo nível intelectual
– simples falta de interesse ou motivação
– comportamento de oposição, teimosia

Avaliação:

Impõe-se uma avaliação cuidadosa nos casos suspeitos de TDA/H Tipo Desatento, face à necessidade de se diferenciar esses casos de quadros silenciosos de ansiedade e depressão, uma vez que essas condições também são capazes de comprometer a atenção e o esforço.
A investigação criteriosa pretenderá ademais identificar a presença ou não de transtornos de aprendizado.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.