Tratamento

Três pilares sustentam a terapêutica do TDA/H: a psico-educação, a farmacoterapia e as diversas formas de intervenções psicológicas e educacionais.
A informação e conscientização do paciente e dos familiares é o primeiro e o mais importante passo.

No campo da farmacoterapia, os medicamentos estimulantes constituem a 1a linha de tratamento. No Brasil dispomos do metilfenidato e da lisdexanfetamina, que apresentam o melhor nível de eficácia. Como medicação de 2a linha, vêm a atomoxetina e certos antidepressivos (antidepressivos tricíclicos, a bupropiona). Em alguns casos também se utilizam a clonidina, a venlafaxina, outros antidepressivos e a selegilina.

Intervenções escolares, estratégias de comportamento e diversas formas de psicoterapia, incluindo grupos de ajuda, são de inestimável valor e completam o tratamento.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.